O novo computador da IBM é o tamanho de um grão de sal e custa menos de 10 centavos de dólar

Estamos atingindo o ápice da tecnologia com a criação de computadores que realizam operações em milionésimos de segundos, são mais potentes e cada vez menores.

Esta miniaturização da eletrônica vem progredindo constantemente há décadas, mas a IBM deu um grande salto.

A empresa criou o que chama de menor computador do mundo e é do tamanho de um grão de sal.

O dispositivo de 1 milímetro x 1 milímetro foi revelado na conferência IBM Think 2018 da gigante da computação. Apesar de seu tamanho diminuto, a empresa alega que o computador tem a mesma quantidade de energia que um chip x86 de 1990, o que The Verge indica que provavelmente é poderoso o suficiente para jogar o jogo de computador Doom.

Imagine o que você pensaria se estivesse vivendo agora na década de 90 e visse que um chip desse tamanho fazia o que um PC daquela época era capaz.

Sem surpresa, porém, a IBM tem planos muito maiores. A empresa vê o minúsculo computador se tornando um elemento crucial das tentativas de aplicar o blockchain ao gerenciamento da cadeia de suprimentos, coletando, processando e comunicando dados sobre mercadorias que estão sendo transportadas pelo país.

menor computador do mundo IBM
O mesmo computador em duas fotos. Primeiro visto a nível de um dedo humano (à esquerda) e no outro em uma pilha de sal (à direita). Crédito: IBM

Para permitir isso, o dispositivo possui um processador com “centenas de milhares de transistores”, memória SRAM, uma unidade de comunicação que consiste em um LED que pode enviar mensagens piscando e um fotodetector que pode captar sinais ópticos. Conectar um dispositivo tão minúsculo na rede elétrica é claramente inviável, então ele vem com uma célula fotovoltaica para alimentá-lo.

Custando menos de 10 centavos de dólar para fabricar, a empresa prevê que o dispositivo seja incorporado aos produtos conforme eles se movimentam na cadeia de suprimentos. Os recursos de detecção, processamento e comunicação do computador significam que ele pode transformar efetivamente todos os itens da cadeia de suprimento em um dispositivo da Internet das Coisas (IoT, em inglês), produzindo dados altamente granulares da cadeia de suprimentos que podem agilizar as operações comerciais.

Mas, o mais importante, o computador pode ser um elemento crítico dos esforços da IBM para aplicar a tecnologia blockchain à cadeia de suprimentos. A empresa está indo com tudo neste tipo de tecnologia e está trabalhando com um número de grandes empresas para usar o computador para lidar com tudo, desde o fornecimento de alimentos para o seguro. Nesta semana, eles também lançaram um plano inicial de blockchain mais simples e mais barato, destinado a startups e àqueles que estão começando a experimentar a tecnologia.

O gerenciamento da cadeia de suprimentos é um dos aplicativos mais importantes para a tecnologia. Blockchain é essencialmente um registro de distribuição de informações, uma rede nodal, pode ser usado para rastrear tudo, desde transações até estoque. Cópias idênticas do registro são mantidas em todos os computadores que participam da rede.

Toda vez que um novo registro, ou bloco, é adicionado ao razão, ele inclui uma informação criptografada que o vincula ao bloco anterior, criando uma cadeia ininterrupta que pode ser seguida até o primeiro bloco. Depois que um novo bloco for adicionado à cadeia, todos os participantes receberão uma cópia atualizada do livro, portanto, é quase impossível adulterá-lo, já que você teria que editar todas as cópias simultaneamente.

Os benefícios dessa abordagem são enormes para o gerenciamento da cadeia de suprimentos. Anteriormente, você teria várias partes interessadas de fornecedores a entregadores para clientes, todos usando diferentes formas de rastrear itens, processos e transações. Com o blockchain, tudo isso pode ser registrado em um único ponto compartilhado que é atualizado em tempo real, fornece a cada participante a mesma visibilidade e é totalmente rastreável.

Ao contrário do rastreamento de transações bancárias ou contratos, no entanto, para a abordagem de trabalho para a cadeia de suprimentos, ele precisa ser capaz de interagir com os próprios bens físicos. É aí que entra o minúsculo computador da IBM.

A empresa tem trabalhado no que chama de âncoras de criptografia, que descreve como “impressões digitais à prova de adulteração, para ser incorporado em produtos, ou partes de produtos, e ligado ao blockchain”.

Essas âncoras carregam uma mensagem criptográfica vinculada ao blockchain que pode ser usado para identificar e autenticar o produto. Esta mensagem pode ser codificada de várias maneiras. Outra abordagem que a empresa investigou é a utilização de tinta magnética comestível para criar padrões de pontos coloridos em medicamentos.

Mas o benefício do mini computador é que ele também pode coletar e analisar dados conforme passa pela cadeia de suprimentos. Isso significa que, além de ajudar a verificar a proveniência do produto, isso poderia dar às partes interessadas informações sobre como elas foram manipuladas ou se houve qualquer tentativa de adulterá-las.

O minúsculo computador é atualmente um protótipo, e ainda há poucos detalhes sobre como exatamente o computador será vinculado ao blockchain. Mas a empresa diz que planeja lançar sua solução de âncora de criptografia nos próximos 18 meses. Então fique de olho – pode não demorar muito para que o menor computador do mundo seja entregue à sua porta.

Artigo original da SingularityHub.

Modificações pontuais e traduções foram feitas para adaptar a linguagem para os leitores brasileiros.

Quer decolar ainda mais alto em seus empreendimentos?

Curta nossa página no Facebook

Veja nossas fotos no Instagram

Category: TECNOLOGIA

Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *